Blog Tudo e Todas

Bonecas de amigurumi são inspiradas nas soberanas da 15ª Fenachim

RespeitAme por: Taiane Kussler em: 11/05/2019 | 10:00

Foto: Taiane Kussler / Tudo & TodasA artesã, Michele Flores, acredita que a 15ª Fenachim abriu um leque de oportunidades para a divulgação deste trabalho
A artesã, Michele Flores, acredita que a 15ª Fenachim abriu um leque de oportunidades para a divulgação deste trabalho

Uma proposta diferente desperta a atenção das pessoas que circulam na feira do artesanato da Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim). A artesã, Michele Flores, aproveitou a experiência na produção de objetos de amigurumi (crochê em 3D) para apresentar uma proposta inovadora para a feira. Michele utilizou a técnica para confeccionar bonecas inspiradas nas três soberanas da festa: a rainha Lavínia Wachholz e as princesas, Andressa Halmenschlager e Thaíse Fagundes.

'Depois que decidi fazer as bonecas de amigurumi inspiradas nas soberanas, aguardei até o último momento para poder confeccioná-las com o vestido de gala. Elaborei a base inicial para depois fazer o 'corpinho' das bonecas. Levei dois dias até que ficasse exatamente como eu gostaria. Em média, cada boneca leva três horas para ser produzida', comenta a artesã.

O trabalho foi minucioso e detalhado, Michele elaborou várias vezes as peças até chegar ao resultado final. 'Acho que a proposta deu certo, quando elas chegaram aqui e viram as bonecas ficaram eufóricas. Naquele momento tive vontade de chorar, é gratificante ver o sorriso dos outros quando se deparam com o trabalho que fiz com tanto carinho, pensando nelas', salienta.

De acordo com a artesã, a proposta foi escolhida para homenagear a dedicação das soberanas com o evento. 'Fiz as soberanas para trazer algo diferente, por isso, pensei nas meninas, que são a representatividade da Festa Nacional do Chimarrão', salienta.

Foto: Divulgação / Tudo & TodasBonecas de amigurumis foram inspiradas nas anfitriãs da festa
Bonecas de amigurumis foram inspiradas nas anfitriãs da festa

>> Envolva-se: polvos em amigurumi são confeccionados em prol da UTI Neonatal

O gosto pelo trabalho manual começou desde os 9 anos, quando Michele Flores, descobriu o segredo das agulhas. As primeiras peças foram confeccionadas em tricô e crochê, para depois investir nos objetos em amigurumi. 'Em 2017, uma das minhas amigas ficou grávida e eu não sabia o que fazer para presenteá-la quando decidi fazer um polvo em amigurumi para dar ao bebê', relembra. A artesãn postou a foto no Facebook e as pessoas começaram a comentar e a fazer pedidos de outros bichinhos.

A partir deste momento, Michele, que trabalha como secretária, foi aprimorando o trabalho, buscando referências através da internet e dos livros. 'Esta técnica não era muito utilizada pelas artesãs daqui, era um produto novo a ser elaborado. A receita do polvo é dinamarquesa e a técnica é japonesa. No primeiro momento, tive dificuldade para buscar informação, já que, a maioria dos vídeos que mostravam o passo a passo da produção não eram em português', salienta.

A partir deste iniciativa, de presentear a amiga, o trabalho artesanal de Michele Flores passou a ser reconhecido e valorizado. A proposta de confeccionar polvos veio ao encontro do projeto 'Envolva-se', para a implantação da UTI Neonatal, no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM). Assim que Michele recebeu o convite para participar do projeto, ela e mais quatro artesãs se dedicaram para confeccionar 60 polvos de amigurumi para serem comercializados durante a feira. 'O trabalho foi bem intenso, ficamos um mês envolvidas com o projeto. Elaboramos um polvo padrão (com as cores da campanha) e os demais de diferentes cores. Enquanto as outras artesãs produziam a base do polvo, eu finalizava para que as peças ficassem todas padronizadas', considera. Para ela, fazer parte deste projeto foi uma experiência nova e muito gratificante. 'O convite representa a valorização do meu trabalho e é também uma forma de retribuir as bençãos maravilhosas que ocorreram este ano na minha vida', salienta.

Além desta proposta, Michele também foi convidada para produzir peças para o projeto 'Inspiração e Renda - Venâncio Feito a Mão'. Para trazer a representatividade do polo da proteína no município, a artesã desenvolveu uma capivara e um bugiu de amigurumi, bichinhos elaborados para compor a coleção.

>> 2019: um ano de oportunidades

Além das peças em amigurumis, o carro-chefe da produção, Michele Flores também faz tricotin e ragdoll. Após a repercussão nas redes sociais, a artesã passou a desenvolver outras técnicas e investir na produção de diferentes peças. Hoje, ela confecciona chaveiros, personagens infantis e outros bichinhos. 'Dá para fazer qualquer coisa em amigurumi, basta usar a criatividade. Tenho algumas peças a pronta-entrega, mas a maioria delas, são produzidas através dos pedidos', comenta. Segundo ela, as peças são personalizadas de acordo com a preferência de cada cliente. 'Antes de produzir as peças, faço um estudo conhecer um pouquinho mais de cada criança. Cada detalhe é inspirado nelas', confessa.

Segundo a artesã, 2019 foi um ano de muitas oportunidades. 'Este ano foi o grande 'boom' na minha produção e a Fenachim foi uma benção para mim. Tudo foi acontecendo aos poucos na minha vida e hoje, estou colhendo os frutos deste trabalho', ressalta.

Interessados em conferir os objetos em amigurumi, podem visitar o estande da artesã na feira de artesanato da 15ª Fenachim, ou através do facebook e Instagram Michele Flores: Hand Made. A artesã também possui algumas peças a disposição na loja virtual Elo7.

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais