Blog Tudo e Todas

A busca pelo próprio lugar

Comportamento por: Débora Kist em: 08/03/2018 | 10:14

Em uma sociedade que inevitavelmente dita padrões e preconceitos, a rotina da mulher nesse cenário foi sempre de buscar igualdade. E essa igualdade passa não apenas pela comparação com os homens, mas em relação a si mesma. Por uma questão histórica e social, a mulher está atrelada às funções de mãe e esposa, além de profissional.

Embora hoje 'os tempos sejam outros', entende-se que os chamados papéis de gênero estão impregnados culturalmente e muitos vezes não são percebidos. Para a socióloga Cláudia Tirelli, o 8 de março ajuda a refletir sobre essas questões.

'O dia da mulher não é apenas para mandar flores e bombons. Vai além. É para todos pensarmos sobre direitos. Infelizmente, as mulheres ainda não têm as mesmas oportunidades no mercado de trabalho, por exemplo'.

 

Foto: Tudo e Todas / Débora KistDaniela Graef:
Daniela Graef: "Saúde do corpo começa pela cabeça"

 

Ao mesmo tempo em que a mulher ainda procura fugir de padrões e regras sociais preestabelecidas, a preocupação deve ser com ela mesma, tendo consciência das próprias necessidades e anseios. Nesse sentido, conforme a psicóloga Daniela Graef, os cuidados com a saúde são fundamentais.

'Se o teu corpo te pertence, a saúde dele começa pela cabeça. O 8 de março talvez ajude a lembrar que a mulher precisou e precisa enfrentar dificuldades, mas não para se igualar apenas ao homem e sim para encontrar seu próprio lugar'.

A psicóloga explica que como a mulher tem a capacidade de realizar várias atividades ao mesmo tempo, ela não pode esquecer de tirar um tempo para si. O desafio, segundo Daniela Graef, é a mulher identificar o que lhe faz bem, para então saber o que precisa para levar uma vida com qualidade.

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais