Blog Tudo e Todas

Casal mochileiro dá dicas para viajar tranquilo em família

Viagem por: Rosana Wessling em: 22/01/2019 | 12:00

Viagem com criança exige um cronograma diferente para atender a rotina dos pequenos. O casal aventureiro Emilio Rotta, 43 anos e Josiane Rotta 36 anos, viajam com a filha Sara Weschenfelder Rotta de 7 anos, desde muito pequena. A filha dos jornalistas já conhece mais de 13 países. Para incentivar mais famílias a se aventurarem, Rotta e Josiane, criaram um blog 'Tem criança na viagem', compartilhando dicas, sugestões, e a rotina das vigens com criança. Josiane explica que a viagem com filhos muda um pouco.

A gente costuma dizer que não faz a viagem para a Sara, mas com a Sara. Ela nos acompanha, e, quando dá, a gente acompanha ela. Tentamos não sair tanto da rotina. Tentar dormir e acordar em horários mais usuais, descansar alguns períodos mais longos durante o dia para a criança se recuperar.'


O casal cita itens importantíssimos que não devem ser esquecidos de colocar na mala.

Repelente, água, protetor solar são os três principais itens. Acrescente aí calçados confortáveis como chinelinhos, sandálias, roupas leves e boné. Dependendo do destino e do tamanho da criança, um carrinho de bebê do tipo 'guarda-chuva', simples mas confortável, é um baita aliado no passeio', comenta Rotta.

Além disso, ele frisa a importância de visitar o pediatra antes da viagem para buscar informações ou indicações de algum remédio que possa ser importante durante a viagem para determinado destino.

Na alimentação, o casal de mochileiros tenta manter uma rotina semelhante à de casa. Como não possuem o hábito de comer fast food, refrigerantes e doces todos os dias, na viajem não mudam isso. Sempre que chegam em algum lugar vão atrás de supermercados e compram produtos que gostam, e práticos, com o objetivo de baratear as refeições e manter uma vida mais saudável.

Josiane conta que a Sara, adora tomate-cereja, então sempre levam um pequeno estoque quando encontram. 'Na Ásia sempre fervíamos ovos nas jarras elétricas do quarto do hotel, então tínhamos alimento para diversos horários e que podíamos consumir em qualquer lugar. Também nunca deixamos faltar água e barrinhas de cereal, ou algo leve e prático, como bolachas salgadas, que são salvadoras na hora da fome.' 

Foto: Arquivo Pessoal / DivulgaçãoFamília viajou para Yangshuo na China
Família viajou para Yangshuo na China

Dicas do que fazer nas 'horas de tédio' dos pequenos


O casal costuma incluir passeios e programações infantis para a filha nas viagens, mas garantem que a viagem não é pensada em torno dela. 'Ela nos acompanha e curte tanto quando a gente. Mas claro que se tem uma pracinha legal no meio do caminho, a gente deixa brincar. Se tem um teatro, algo divertido, deixamos ir e curtimos juntos. Sempre tentamos colocar coisas legais para ela nos roteiros, mas não deixamos de aproveitar a viagem em família', diz Rotta.

Um dos grandes desafios nos passeios são os momentos de tédio. A criança fica impaciente, enjoa, cansa, inclusive durante o percurso no avião. Josiane conta que cada criança tem sua personalidade e compartilha alguns truques.

'Sempre que vamos viajar deixamos ela levar uma mochila com os brinquedos que ela escolher. O que couber ali, pode levar. Então ela se diverte com as bonequinhas e casinhas que monta em qualquer lugar - seja avião, ônibus, trem ou quarto de hotel. Também levamos canetas e folhas de papel, para desenhar. Nestes momentos até pintar mãos e braços a gente deixa - tudo pela distração.'

A mãe destaca que os celulares, são utilizados somente em momentos extremos. Ela cita que em viagens internacionais, geralmente os aviões têm filmes e desenhos para as crianças 'Alguns ônibus que fazem trajetos mais distantes também oferecem o serviço; nestes casos também liberamos para a Sara assistir. Se a criança for um bebê, vale conversar com o pediatra para ver se ele indica algum remedinho para facilitar o sono. Mas isso nem sempre funciona e pode até gerar efeito contrário, aconteceu conosco', destaca aos risos.

Documentos necessários para uma viagem tranquila

Dentro do Brasil e para países do Mercosul, basta a identidade - se as crianças forem seus filhos. Se não forem é importante fazer contato com a Justiça para saber o que é necessário. Para fora do país o passaporte é obrigatório, o pai conta que eles são sempre muito prevenidos. 'Levamos cópias de certidão de nascimento e de vários outros documentos, para não correr o risco.'

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais