Blog Tudo e Todas

Como valorizar ambientes usando a iluminação?

De casa por: Taiane Kussler em: 17/08/2018 | 11:00

Na elaboração de ambientes, um elemento que ganha destaque é a iluminação. Ela pode valorizar os espaços, destacar elementos e criar efeitos diferenciados. Com criatividade é possível transformar o ambiente, ao deixar o cômodo mais intimista, mais aconchegante, propício para o trabalho ou para os momentos de descanso, apenas com um toque de personalidade ao definir a luminária certa para cada proposta. Segundo a arquiteta e urbanista Sabrina Assmann Lücke, há várias opções de luminárias e lâmpadas disponíveis no mercado que colaboram com estes detalhes ao fazer toda a diferença na composição, seja de interiores ou de exteriores. Há uma vasta gama de opções para iluminar, desde lâmpadas, luminárias, fitas, entre outros elementos compositores da iluminação. Antes de adaptar o item, é necessário identificar a proposta da decoração. 

A principal orientação para fazer um projeto luminotécnico é avaliar a função que cada ambiente terá, quais as intenções do cliente e claro, o orçamento. Saber utilizar da melhor forma é o segredo. Na arquitetura, chamamos isto de conforto lumínico.

Confira algumas dicas da arquiteta e urbanista e veja como a iluminação pode influenciar no ambiente.

>> Iluminação direta

É aquela obtida através de um feixe de luz emitido sobre a superfície a ser iluminada. Esta forma de iluminação é muito utilizada para obtenção de grandes luminosidades de formas mais tradicionais ~ luminárias com a lâmpada voltada para baixo ~.

 

>> Iluminação indireta

É obtida através de um feixe de luz que é refletido em algum anteparo, que pode ser uma peça da própria luminária, uma parede ou mesmo o forro dos ambientes. É comumente utilizada quando se busca iluminação sem efeitos de ofuscamento ou brilho, que podem ser ocasionados pela iluminação direta.

>> Iluminação central

Chamamos de iluminação central aquela que é fornecida por um ponto central de um ambiente, normalmente proporcionada por lustres mais imponentes, por exemplo, como em salas ou em hall de entrada.

 

>> Iluminação de destaque

É quando utilizamos a iluminação para destacar algum quadro, objeto decorativo, ou mesmo a iluminação embutida em mobiliários. Elas não são utilizadas para iluminar ambientes, mas para criar efeitos.

>> Temperatura de cores

É importante sabermos que a temperatura de cor influencia diretamente na qualidade de um ambiente, pois ela poderá proporcionar mais calor, aconchego e mesmo reproduzir as cores com maior ou menor fidelidade. Elas podem ser classificadas em quentes, mornas ou frias. Utilizamos as quentes para ambientes onde buscamos proporcionar maior conforto, como dormitórios e salas de estar. Também é muito indicada para iluminação de jardins. As mornas podem ser utilizadas em locais de transição, como corredores ou locais de trabalho menos formais. E as frias são recomendadas para ambientes de preparo de alimentos, banheiros, áreas de saúde, por exemplo.

 

>> Proporção

Outro detalhe muito importante a ser considerado é a proporção entre o ambiente a ser iluminado e as luminárias a utilizar. Ambientes amplos pedem peças grandes, principalmente se for utilizada um a iluminação central, como lustres. Já ambientes pequenos, não devem ser carregados. Opte por luminárias mais sutis, tanto em tamanho, quanto em efeitos. A menos que a intenção seja de impressionar.

 

>> Quantidade de luz

Um cuidado muito especial que devemos ter é quanto a quantidade de luz a ser instalada em um ambiente. Isto não quer dizer quantidade, mas luminosidade. Ambientes com muita luz podem causar cansaço, fadiga e cefaleia. Já ambientes pouco iluminados, poderão causar também efeitos negativos nas pessoas.

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais