Blog Tudo e Todas

Dica de viagem: cores, sabores, belezas e peculiaridades do Marrocos

Viagem por: Camila Becker em: 18/11/2017 | 14:00

O Marrocos é um país muçulmano no norte da África com quase 34 milhões de habitantes. Os marroquinos são tolerantes e mais permissíveis que outros muçulmanos por conta da grande influência europeia, especialmente francesa.

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasMichiel e eu nos Kasbahs em Aït-Ben-Haddou
Michiel e eu nos Kasbahs em Aït-Ben-Haddou

A língua oficial é o árabe e o berbere. O francês é amplamente difundido devido seu passado colonial.

Uma das principais razões para termos escolhido este destino foi a culinária. Michiel e eu amamos comida marroquina e os pratos que provamos não deixaram a desejar.

Durante a viagem, tivemos a chance de experimentar sensações diferentes: visitamos palacetes de barro (kasbahs) com 400 anos, dormimos em uma tenda no deserto do Saara com os beduínos (nômades do deserto) e nos hospedamos em uma casarão tradicional marroquino (Riad) dentro da Medina de Marrakech. Os Riads são antigos casarões, geralmente com um jardim a céu aberto na parte central, e que hoje são como hotéis.

Caminhar pela Medina é voltar no tempo. Os marroquinos despertam grande curiosidade em nós turistas e eles sabem disso.

Se você fotografá-los sem pedir autorização, provavelmente ficarão irritados e pedirão dinheiro pela foto. Se você pedir autorização também pode ser que exijam dinheiro em troca. Lá existe a crença de que a fotografia rouba parte da alma das pessoas, então para evitar problemas tentei fotografar o mínimo possível na presença deles.

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasHomem cobrindo o rosto com medo que a câmera captasse sua alma
Homem cobrindo o rosto com medo que a câmera captasse sua alma
Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasMichiel e eu na Medina
Michiel e eu na Medina

Pedir por informação ou para que direção seguir dentro da Medina pode ter um custo. Isso porque depois de te darem a informação desejada, muitos deles pedem uma quantia em dinheiro pela ajuda. Aconteceu até de um senhor começar a andar na nossa frente como se estivesse nos mostrando o caminho sem ao menos estarmos perdidos. Quando chegamos ao nosso destino ele queria nos cobrar alegando que nós o seguimos, sendo que jamais pedimos nenhuma informação a ele.

Apesar de tudo isso, de um modo geral o povo marroquino é extremamente respeitador. Suas vestimentas longas e casas completamente voltadas para o lado de dentro refletem uma cultura de valorização da riqueza interior, humildade e valor à família. Li relatos de mulheres se sentindo desconfortáveis com olhares alheios, mas particularmente não vivenciei nem presenciei nenhum olhar torto ou desrespeitoso. Mas há de se entender que a cultura é muito diferente da nossa, e que é melhor evitar usar roupas justas ou que revelem demais o corpo. Principalmente em lugares vistos como sagrados para eles.

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasFoto dos Kasbahs em Aït-Ben-Haddou
Kasbahs em Aït-Ben-Haddou, onde foram filmadas cenas do filme Gladiador e de Game of Thrones

Na Medina todos são acordados diariamente às 5h pelo autofalante da mesquita central, que chama a todos os muçulmanos para a primeira reza do dia (são cinco rezas diárias). Ritual este que logo me acostumei, e quando estava de volta em casa, senti falta de ser acordada com os cantos islâmicos.

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasTenda de especiarias na Medina em Marrakech
Tenda de especiarias na Medina em Marrakech

Entre um passeio e outro, mal podíamos esperar pelo próximo Tagine, prato cheio de especiarias geralmente de cordeiro, gado ou frango cozido com legumes por umas sete horas. O Couscous às vezes acompanhava as refeições e também era delicioso.

Quem chega no país vai se deparar com um padrão de higiene bem diferente do que está habituado e a chance de passar mal é grande. Por isso tentamos ficar longe das comidas de rua, das 'deliciosas' sopas de lesma servidas na madrugada na praça Jemaa El-Fna.

O consumo de carne de porco e álcool é considerado haraam (impuro) e são proibidas pelo Alcorão.

O governo autoriza a produção de bebidas alcoólicas, mas proíbe o consumo de álcool pelos marroquinos. Entretanto, turistas conseguem comprar bebidas em certos restaurantes e hotéis.

Uma das coisas mais legais que fizemos foi passar a noite no deserto do Saara. Uma noite tipicamente Berbere regada a muito chá de menta adoçado, histórias e danças ao redor da fogueira e um céu cheio de estrelas. Pela manhã ver o sol nascer no deserto, nas costas de um camelo é algo fantástico.

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasBeduínos nos servindo chá de menta antes de dormir
Beduínos nos servindo chá de menta antes de dormir
Foto: Arquivo Pessoal / Tudo & TodasCom camelos no Saara
Com camelos no Saara

 

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais