Blog Tudo e Todas

Em que situação buscar um psicopedagogo?

Comportamento por: Ana Carolina Becker em: 15/11/2018 | 12:00

Muitos problemas enfrentados pela sociedade passam pelas mãos de psicopedagoga para a cura. De acordo com a especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica, Maria Zulmira Portella de Mouras, enquanto muitos ainda pensam que psicopedagogia é somente a junção do conhecimento do psicólogo com pedagogo, ela explica que esse trabalho vai além disso.

Foto: Divulgação / Tudo&Todas,

Podendo atuar dentro de escolas, Caps, Cies, Ongs juntamente com uma equipe multidisciplinar, esse profissional também pode trabalhar em consultório. De acordo com Maria Zulmira, é a partir dos quatro anos onde se percebe maior dificuldade na aprendizagem, ou seja, quando a criança está sendo alfabetizada nos anos iniciais (1ª a 5ª do Ensino Fundamental). 'A grande maioria procura o atendimento por conta do déficit de atenção, TDAH, síndromes, transtornos, orientações aos pais professores', explica. No entanto, não são somente as crianças que necessitam da ajuda desse profissional. Maria Zulmira lista também alguns adultos que buscam informações de como estudar para uma prova ou concursos quando não estão conseguindo se concentrar. 'Esse público também quer prevenir ansiedade, alzheimer, lapsos de memória e adaptações', diz.

O psicopedagog atua-se com excelência na recuperação das dificuldades de aprendizagem a partir de um enfoque no lúdico e na psicopedagogia cognitiva

 

Foto: Arquivo Pessoal / Tudo&TodasMaria Zulmira fala da importância do profissional
Maria Zulmira fala da importância do profissional

De que forma é feito o diagnóstico
A psicopedagoga explica que para identificar esses problemas são feitas observações, investigações, análises, aplicações de instrumentos investigativos, entrevistas e estudo de cada caso. 'Podemos dizer que o Psicopedagogo tem um olhar diferente em relação a criança, adolescente ou adulto que apresentam dificuldade de se adaptar, assimilar ou aprender', comenta.

No momento de tratar e intervir, esse trabalho deve ser voltado para a construção do saber, do aprender e, principalmente, do querer conhecer, querer pensar, buscar e apreender. 'As informação e orientações são repassadas aos pais, e professores sempre de forma à orientá-los e montar estratégias para que o aprendente queira buscar novos conhecimentos e tome gosto pelo aprender. É de fundamental importância estar sempre em contato com a família, a escola e o psicopedagogo', diz.

Síndromes
Maria Zulmira explica que crianças com crianças com déficit de atenção, TDAH, Transtorno Espectro Autista (TEA), dislexia, disortográfica, TOD, déficit e transtornos devem receber intervenção adequada de um psicopedagogo, 'pois essas pessoas se receberem tratamento adequado pode ter sucesso na vida escolar e social, progredir em carreiras e serem bem-sucedidas, em cargos de destaques ao longo da vida', destaca.

De acordo com ela, o psicopedagogo tem a função de auxiliar o indivíduo que não aprende a se encontrar nesse processo, 'além de ajudá-lo a desenvolver habilidades para isso', complementa.

 

 

 

 

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais