Globo de Ouro: leia trechos do discurso em que Meryl Streep critica a postura do presidente eleito Donald Trump

RespeitAme por: Ana Flávia Hantt em: 09/01/2017 | 08:30

Há um bom tempo, eventos da sétima arte, como Oscar e Globo de Ouro, não servem apenas para reconhecer o trabalho de artistas. Atores, diretores e outros indicados aos prêmios utilizam a visibilidade que obtêm nestas ocasiões para levantar bandeiras. Foi assim, por exemplo, no último Oscar, quando a hashtag #OscarSoWhite (algo como 'Oscar tão branco') criticou a ausência de pessoas negras entre os indicados.

Na noite deste domingo, na cerimônia do Globo de Ouro, que ocorreu em Beverly Hills, na Califórnia, o destaque foram novamente os discursos inflamados, especialmente o feito pela homenageada da noite, Meryl Streep.

Foto: Divulgação / Tudo & TodasMeryl Streep lembrou a diversidade étnica de Hollywood
Meryl Streep lembrou a diversidade étnica de Hollywood

Em sua fala de cerca de cinco minutos, a atriz citou a origem de diversos atores e atrizes (Natalie Portman nasceu em Jerusalem, por exemplo), em uma referência à diversidade que existe no meio da arte. Mais do que fatos curiosos, o recado era para Donald Trump (mesmo que ela não tenha citado o nome do presidente eleito em nenhum momento), que durante toda sua campanha à Casa Branca, fomentou um discurso contrário a imigrantes.

Hollywood é apenas um bando de pessoas de outros lugares", disse.

Mesmo com problemas na voz, Meryl fez um discurso inspirado e emocionado, e rapidamente ganhou destaque nas redes sociais.

Abaixo, leia trechos do discurso da atriz:

Houve uma performance neste ano que me surpreendeu. Afundou seus 'ganchos' em meu coração. Não porque era bom. Não havia nada de bom nisso. Mas foi eficaz e fez o seu trabalho. Ele fez seu público-alvo rir e mostrar os dentes. Foi nesse momento que a pessoa que pediu para sentar no mais respeitado assento em nosso país imitou um repórter incapacitado, alguém que ele superou em privilégio, poder e capacidade de lutar. Isso quebrou meu coração. Eu ainda não consigo tirar isso da cabeça porque não estava em um filme. Era a vida real.

E esse instinto de humilhar, quando é um modelo feito por alguém na plataforma pública, por alguém poderoso, ele vira um filtro para a vida de todos, porque dá permissão para outras pessoas fazerem a mesma coisa. Desrespeito convida ao desrespeito. A violência incita a violência. E quando os poderosos usam sua posição para intimidar os outros, todos nós perdemos."

A atriz continuou pedindo que todos somem esforços pela liberdade de imprensa, a qual poderá fiscalizar e expor os 'ultrajes' do novo governo:

Eu só peço à famosa imprensa de Hollywood, e a todos da nossa comunidade, que se juntem a mim para apoiar o comitê para proteger os jornalistas. Porque vamos precisar deles para a frente. E eles precisarão de nós para salvaguardar a verdade."

Para finalizar, Meryl também lembrou os atores presentes sobre sua responsabilidade em serem figuras públicas, e seu compromisso com a empatia para outras pessoas.

>> Assista (em inglês) o discurso de Meryl Streep:

***

Entrevistado pelo jornal americano The New York Times, Trump respondeu que nunca teve a intenção de zombar do jornalista Kovaleski (fato ao qual Meryl se refere em seu discurso), e acusou a atriz de ser uma 'adoradora de Hillary Clinton'.

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais