Blog Tudo e Todas

Melhores cidades para expatriados viverem em 2018

Viagem por: Ana Flávia Hantt em: 04/06/2018 | 19:00

O Instituto Mercer, um dos mais utilizados por empresas multinacionais para apoiar o envio de funcionários para um diferente país, divulgou o ranking de 2018 sobre a qualidade de vida entre cidades do mundo. O oeste europeu, somado a Nova Zelândia, Canadá e Austrália, ocupam as principais posições. O resultado é baseado em índices políticos e sociais, médicos, educacionais, serviços públicos e transporte, recreação, bens de consumo, moradia e meio ambiente.

1. Viena, Áustria

2. Zurique, Suíça

3. Auckland, Nova Zelândia

3. Munique, Alemanha

5. Vancouver, Canadá

6. Düsseldorf, Alemanha

7. Frankfurt, Alemanha

8. Geneva, Suíça

9. Copenhagen, Dinamarca

10. Basel, Suíça

10. Sydney, Austrália

12. Amsterdam, Holanda

13. Berlin, Alemanha

14. Bern, Suíça

15. Wellington, Nova Zelândia

16. Melbourne, Austrália

16. Toronto, Canadá

18. Luxemburgo, Luxemburgo

19. Ottawa, Canadá

19. Hamburg, Alemanha

OBS.: Algumas cidades possuem o mesmo índice, e por isso ocupam a mesma posição no ranking.

América do Sul

O ranking apresenta também cidades da América do Sul, entre elas Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. São essas as melhores cidades do Brasil para receberem trabalhadores de diferentes nacionalidades.

77. Montevidéu, Uruguai

91. Buenos Aires, Argentina

92. Santiago, Chile

108. Brasília, Brasil

115. Assunção, Paraguai

118. Rio de Janeiro, Brasil

122. Quito, Equador

122. São Paulo, Brasil

124. Lima, Peru

127. Manaus, Brasil

128. Bogotá, Colômbia

156. La Paz, Bolívia

193. Caracas, Venezuela

Onde estamos

Foto: Josiele Baron / Tudo & Todas Toronto é considerado o centro financeiro e tecnológico do Canadá
Toronto é considerado o centro financeiro e tecnológico do Canadá

Nossa semana teve ares de "casa". Fomos recebidas em Toronto pela venâncio-airense Ana Cristina Diefenthaler, que ao lado do marido Rodrigo Benvenutti e da filha Luiza, nos abriu as portas do seu lar. Nós adoramos viajar, conhecer novas cidades e pessoas de diferentes nacionalidades, mas é impressionante como nos faz bem estar perto de quem conhece nossas referências e nossa cultura. Durante nossos dias por aqui, não faltaram lembranças de histórias de infância, atualizações de notícias da "terrinha", e claro, muito chimarrão. Uma alegria só!

 

TorontoToronto é a capital da Província de Ontário, e a cidade mais populosa do Canadá, com cerca de 2,8 milhões de habitantes. É considerada líder em economia, finanças, tecnologia, entretenimento e cultura, com uma vasta participação de imigrantes, os quais fazem da cidade uma das mais multiculturais do mundo. É uma cidade amigável, bonita, limpa, segura, e com um sistema de transporte público de excelência. Um ótimo destino para visitar e estudar.

 

 

Foto: Arquivo pessoal / Tudo & TodasPasseio no High Park, o principal parque de Toronto, com a venâncio-airense Ana Cristina Diefenthaler, que nos recebeu nesta semana
Passeio no High Park, o principal parque de Toronto, com a venâncio-airense Ana Cristina Diefenthaler, que nos recebeu nesta semana

Transporte ferroviário: Norte América x Brasil

Durante a greve dos caminhoneiros no Brasil, muitas análises sobre o acontecimento falaram sobre o fato do Brasil ser altamente dependente do transporte rodoviário, além da inexistência de alternativas como um sistema ferroviário capaz de absorver a demanda de cargas.

Na América do Norte, a situação possui um panorama diferente. O transporte por trilhos é muito eficiente, sendo o principal meio de transporte para cargas como grãos, petróleo, combustíveis, produtos florestais, mineração e alumínio. São mais de 200 mil quilômetros de trilhos, mantidos por cerca de dez diferentes empresas, em rotas transcontinentais entre Canadá, Estados Unidos e México.

Vale dizer que entre as opções disponíveis, o ferroviário é o mais adequado para o transporte de cargas pesadas em alta quantidade, especialmente produtos siderúrgicos, derivados do petróleo, fertilizantes e itens agrícolas. Além disso, utiliza menos combustível - o que evitaria, por exemplo, essa dependência extrema do diesel, e oferece menor riscos de acidentes e perda da carga.

 

Foto: Divulgação / Tudo & TodasO transporte ferroviário utiliza combustível mais barato, e portanto, reduz o custo de operação
O transporte ferroviário utiliza combustível mais barato, e portanto, reduz o custo de operação

***

No Brasil

Dos cerca de 30 mil quilômetros de ferrovias que existem no Brasil, em torno de 10 mil foram construídos pelo Imperador Dom Pedro II. Esse foi o período em que o país mais investiu na modalidade, enfrentando grande defasagem desde então. Se o país decidisse investir nesta modalidade, teria ainda uma segunda vantagem: o Brasil é um grande produtor de biodiesel, fonte de energia que, aos poucos, é implementada como combustível limpo e eficiente para locomotivas.

Greve no transporte de carga

Mais de 3 mil funcionários da Canadian Pacific Railway, empresa de transporte ferroviário de carga que atende o oeste do Canadá e também o norte dos Estados Unidos, entraram em greve nesta terça-feira à noite. Os trabalhadores pararam após dificuldades em negociar novas cláusulas de contrato com a empresa.
A Canadian Pacific Railway é líder no transporte de grãos e petróleo, e a greve causou atrasos na entrega de cargas para a indústria, especialmente para a exportação, e também para produtores agrícolas, que saem agora de um rigoroso inverno e precisam trabalhar em suas plantações. A greve se encerrou dois dias depois, na quinta-feira.

***

Cultura norte-americana

Na última coluna iniciamos uma lista sobre aspectos da cultura norte-americana. Listou se os hábitos nas refeições, na qual o jantar é o mais importante; o tempo no trabalho, geralmente uma carga horária entre 9h e 17h; a divisão de tarefas no cuidado com os filhos; e também a cultura de independência da família adotada pelos jovens. Na edição de hoje, mais algumas curiosidades, baseadas na experiência de residir com cinco famílias moradoras do nordeste americano e leste canadense:

1. Ligações telefônicas

Os planos de telefonia norte-americanos, geralmente ilimitados, favorecem as ligações e o envio de mensagens de texto por SMS. É muito comum ver as pessoas com fones de ouvido, andando nas ruas ou no transporte público, tendo conversas intermináveis via ligação telefônica. Aplicativos como o WhatsApp quase não são utilizados como meio de comunicação.

2. Última palavra

A noção norte-americana para polidez ao receber uma mensagem é um pouco diferente da brasileira. Por exemplo: Se você enviar um e-mail ou mensagem de texto relatando um fato para uma pessoa, é bem possível que ela leia e nunca te retorne. Ela leu, compreendeu o que você quis dizer, mas a etiqueta não exige que ela responda. A situação é diferente no caso de um acontecimento mais grave, ou mesmo no caso de uma pergunta. São grandes as chances de receber o retorno. Em casos mais simples, no entanto, prepare-se para ser "ignorado".

3. Conhecendo alguém

Ao ser apresentado para um norte-americano, o comum é oferecer um aperto de mão, independente se a pessoa for homem ou mulher. Não é usual abraçar ou trocar beijinhos. Abraços são reservados apenas para pessoas muito próximas, como familiares ou amigos.

******

Conexão

Bolsa parcial - A Organização dos Estados Americanos (OEA) e a Universidade da Carolina do Sul Aiken (Usca) estão recebendo candidaturas para bolsa parcial para graduação nos Estados Unidos. Entre os cursos oferecidos estão áreas como Biologia, Administração, Comunicação, Educação Física, Psicologia, Sociologia, Ciência Política, entre outros. A bolsa oferece um subsídio de 4 mil dólares para ajudar a custear o valor do curso, além das taxas semestrais. Os candidatos também podem solicitar auxílio do Fundo Rowe, um programa de financiamento educativo da OEA, que ajuda cidadãos da América Latina e do Caribe a estudarem nos Estados Unidos. Os empréstimos podem chegar a 15 mil dólares sem juros.

Cinema - Quem possui experiência comprovada na área de elaboração de roteiros para produções cinematrográficas ou audiovisuais pode se inscrever para o programa Master of Fine Arts (MFA), desenvolvido em parceria com a Capes. Sao quatro bolsas com duração de até 21 meses para cursar mestrado em roteiro de cinema nos Estados Unidos, uma modalidade de pós-graduação específica que não encontra similar no Brasil.

Liderança - Estão abertas até 15 de junho as inscrições para o Eisenhower Fellowships" Global Program, programa que reunirá de 20 a 25 líderes de diversos setores em evento que ocorrerá entre março e maio de 2019 nos Estados Unidos. A iniciativa consiste em uma programação adaptada a cada participante, com o objetivo de que o líder selecionado conecte-se com líderes americanos e de todo o mundo. Para ser elegível, o candidato deve se destacar em sua área de atuação, ter entre 35 e 42 anos de idade e ser fluente em inglês. É necessário demonstrar impacto em sua região, assim como interesse em se engajar na comunidade da Eisenhower Fellowships.

***
Dica de viagem

Na hora de escolher um destino internacional, certifique-se sobre a exigência de visto. Países como Estados Unidos, por exemplo, possuem um sistema burocrático e demorado, que exige, geralmente, de um a dois meses para reunião de documentos, preenchimento de formulários, pagamento de taxas, entrevista e emissão do visto. Muitas vezes, esse período impossibilita uma viagem planejada de última hora. Fique atento.

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais