Mundo em pauta: Uma visita ao museu de Harvard e um até breve aos EUA

Viagem por: Ana Flávia Hantt em: 13/05/2018 | 15:14

Foto: Arquivo Pessoal / DivulgaçãoEm 2014, um grupo de estudantes venâncio-airenses realizou um intercâmbio de um mês na cidade de Toronto
Em 2014, um grupo de estudantes venâncio-airenses realizou um intercâmbio de um mês na cidade de Toronto

Após dois meses e meio, estamos dizendo um "até breve" para os Estados Unidos. No início da próxima semana, seguimos viagem para o Canadá, onde passaremos diferentes temporadas na costa leste e oeste.

Tive a oportunidade de conhecer o país durante um intercâmbio em 2014, e costumo dizer que o Canadá "pegou tudo de bom" que existia no mundo, e colocou dentro do seu território. Desenvolvido, oferece excelentes condições de vida para a população, seja nas grandes cidades com ruas limpíssimas e seguras, seja nos parques nacionais, montanhas e costas, com estonteantes belezas naturais. O país também se orgulha da sua multiculturalidade, e não é difícil encontrar dezenas de nacionalidades em uma mesma vizinhança, todos convivendo bem e com respeito.

Desta vez, com este roteiro itinerante que passará por diferentes cidades, prevejo mais uma experiência riquíssima no país. No próximo sábado, já retorno à coluna com as primeiras novidades.

Pedras de Ametista do Sul no Museu de Harvard

Foto: Ana Flávia Hantt / 30 on the RoadPedras de Ametista do Sul são destaque em meio à exposição sobre geologia
Pedras de Ametista do Sul são destaque em meio à exposição sobre geologia

Nesta semana, visitamos o Museu de História Natural da prestigiada Universidade de Harvard, e para nossa surpresa, o destaque de uma das exposições, são grandes ametistas originárias de Ametista do Sul, no Rio Grande do Sul. Na exposição sobre geologia, há ainda outras pedras gaúchas, além de quartzos de Minas Gerais.

Vale dizer que Venâncio Aires está localizado há apenas 350 quilômetros de Ametista do Sul, e que a cidade oferece vários pontos de visitação para observação e aquisição das belas pedras.

O que diz Harvard

 

Esta espécie impressionante foi minerada em Ametista do Sul, localizada no estado brasileiro Rio Grande do Sul, mundialmente renomado pela produção de ametistas. Nessa região, os cristais de ametista são encontrados em cavidades ou bolsões cercados por basalto, um tipo de rocha que se forma a partir de lava resfriada. Originalmente, esses bolsões possuem um líquido ou gel rico em sílica que cerca a rocha. À medida que a rocha resfria, a sílica se cristaliza, primeiro formando faixas brancas de pequenas grãos, e depois, grandes cristais de ametista púrpura.'

Siga o Tudo & Todas nas redes sociais